sábado, 30 de novembro de 2019

CONTESTAÇÃO A UM INACEITÁVEL E ABSURDO INCONFORMISMO

Caros Companheiros,

Confesso que fiquei pasmo com a vã   tentativa de alguns colegas em, teimosa e irracionalmente inconformados com a vitória incontestável do   “SIM”   na votação sobre a reforma estatutária na CASSI,  levantarem dúvidas sobre a lisura da votação ao alegarem que  os VOTOS  NULOS  deveriam ser incluídos como válidos, o que foge inteiramente a qualquer lógica.

Providencialmente, acabei de receber mensagem esclarecedora sobre o tema   do companheiro  GILBERTO SANTIAGO,
                                       

 atual Presidente do CONFI na AAFBB que, como sempre,  com sua visão crítica e lógica apuradas, coloca um ponto final a essa descabida e inútil tentativa de desqualificar a decisão do    “SIM” pelo Corpo de Associados.

Adiante reproduzo a nota de GILBERTO SANTIAGO.

Também   transcrevo nota de esclarecimentos da CASSI sobre o assunto.

Atenciosamente

ADAÍ ROSEMBAK

Associado da AAFBB, ANABB e ANAPLAB



Manifestação de GILBERTO SANTIAGO de 30.11.2019

INCONFORMISMO DESCABIDO

Os inconformados estão procurando chifre em  cabeça de cavalo, permitindo que a emoção e o viés ideológico contaminem a razão e o bom senso.

Isto é, estão querendo ver o que não existe.

Fundamentam sua contrariedade no fato de que o Estatuto da CASSI (art. 73) manda que, na apuração, não se computem os votos em branco, mas não o faz com relação aos votos nulos.

Precisaria?

Claro que não.

Ora, se há determinação estatutária para não se computar os votos em branco, quando o votante se manifestou claramente em desacordo, tanto com o SIM como com o NÃO, com muito mais razão não poderiam ser incluídos aqueles que preferiram anular seus votos.

Esta fundamentação está tão óbvia que o Estatuto julgou ser desnecessário a explicitar.

Absurdo, portanto, seria excluir os votos em branco e incluir os nulos.

Não é possível que, divergências radicais, embora sob o manto da liberdade de expressão, venham se aproveitar de omissões ou interpretações equivocadas, com o intuito de invalidar a esmagadora maioria dos que optaram pela aprovação da proposta.

Concluindo: o Estatuto da CASSI em nenhum lugar determinou que os votos nulos fossem incluídos como válidos.

Apenas deixou de dizer, por desnecessário, que o voto nulo, como o próprio nome evidencia, e as diversas leis eleitorais estabelecem, não pode ser computado para fim nenhum.

GILBERTO SANTIAGO


Manifestação da CASSI.


14 comentários:

  1. Amigo Adaí,

    Justa e oportuna sua postagem, muito esclarecedora, não deixando qualquer margem para dúvidas. Parabéns pelo belo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Ari Zanella,

      Gratíssimo por sua apreciação e apoio ao texto.
      Mas o mérito da peça cabe inteiramente à criatividade de GILBERTO SANTIAGO que foi, de fato, quem abordou o assunto e redigiu o texto de forma tão objetiva e brilhante.
      É um tema muito delicado e difícil de ser abordado pois qualquer escolha não atende integralmente ao que desejamos.
      É, como se poderia dizer, uma verdadeira "Escolha de Sofia."
      Eu apenas reproduzi a matéria neste blog, o que me trouxe muita satisfação.
      Tenho minha visão pessoal sobre o assunto pois sei que a escolha foi a melhor opção no momento para salvar a CASSI de uma intervenção da ANS que poderia, inclusive, repassar o plano para algum grupo privado com as piores consequências.
      Para confirmar isso basta verificar a situação de outros planos privados, como a UNIMED e os preços de mercado para um plano de saúde do nível da CASSI.
      Temos consciência de que, se não fizermos reformas radicais dentro da CASSI, daqui a uns dois anos seremos obrigados a voltar a socorrer o plano, pois é matematicamente impossível A qualquer plano sobreviver sem aumentos e reajustes de valores em um ambiente com uma inflação médica que supera os dois dígitos, enquanto nosso reajustes são irrisórios.
      Já disse e repito: estamos encurralados e não temos outra alternativa que não seja mudar a CASSI de forma radical para o plano não desaparecer.
      Esperamos que a conjuntura econômica e financeira em que o país se encontra permita, dentro de um futuro o mais curto possível, que mudanças mais humanas alcancem o país e também nos alcancem e atendam às nossas justas expectativas.
      Essa é minha visão.

      Abraços

      Adaí Rosembak

      Excluir
    2. Pequenas correções em razão da pressa em redigir o comentário:
      - em lugar de "matematicamente impossível A qualquer plano", considerar como "matematicamente impossível a qualquer plano".
      - em lugar de "enquanto nosso reajustes são irrisórios", considerar como "enquanto nossos reajustes são irrisórios".

      Excluir
  2. Texto recebido. Está ok
    Abraço.
    Gilberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo e "guru" Gilberto Santiago,

      O mérito do artigo é todo seu.

      Abração

      Adaí Rosembak

      Excluir
  3. Caro blogueiro,

    Gostei muito do artigo. Tem gente que tem ânsia por causar confusão e criar situações constrangedoras.
    O mérito da matéria, evidentemente, foi do Gilberto Santiago, mas o senhor colocou a matéria dele para o grande público.
    Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo,

      Você tem inteira razão em suas colocações.
      Além dos problemas que temos de enfrentar ainda temos de conviver com a inflexibilidade e o irrealismo de colegas que não conseguem enxergar o que Nelson Rodrigues chamou com muita felicidade, de "o óbvio ululante".
      Mas isso faz parte da luta.
      Nesta altura da vida temos carcaça dura para enfrentar duras pancadas e sair de cabeça erguida e continuando a lutar.
      Você tem toda a razão em elogiar o GILBERTO SANTIAGO. É dele o texto e o mérito.

      Abraços

      Adaí Rosembak

      Excluir
  4. Meu amigo,

    Tem de tudo nesse meio.
    Agora só restava essa ideia de tirar a nulidade do nulo.
    É o mesmo que ressuscitar defunto.
    É nulo, não existe mais, morreu.
    Parem de criar confusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo,

      Tenho o maior respeito por qualquer opinião, mas temos de nos manifestar contra posições obtusas como essa insistência descabida em defender o "NULO" como voto a ser computado.
      Esse é um assunto da maior importância e relevância que vai atingir todos os associados da CASSI, dependentes e familiares.
      Não poderíamos deixar passar um absurdo desse em branco.

      Abraços

      Adaí Rosembak

      Excluir
  5. Senhor,

    Acompanho seu blog há muito tempo e já vi o senhor elogiar o Fernando Amaral várias vezes.
    Mas acho que esse rapaz tem algum parafuso fora do lugar. Já li bons artigos dele mas tem vezes que ele parece perder o rumo. É o que está acontecendo agora. Tenho acompanhando o posicionamento dele nessa votação da CASSI. Não dá para entender uma visão tão estapafúrdia como a dele. É de dar desgosto e tristeza ver uma pessoa tão esclarecida como ele ter opiniões tão contraditórias.
    Deus nos salve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo,

      Respeito integralmente seus pontos de vista.
      Não vou fazer apreciações sobre a posição de FERNANDO AMARAL que, inegavelmente é um colega do maior valor e que já elogiei neste blog em várias oportunidades.
      Não farei comentários sobre a opção dele.
      Vivemos em um ambiente democrático em que cada um se manifesta da forma que achar a melhor.
      Fico por aqui.

      Abraços

      Adaí Rosembak

      Excluir
  6. Blogueiro,
    Quer que eu diga com realidade o que acontece? Com sim ou não estamos fu...
    Daqui a pouco vamos entrar em novo déficit se a atual estrutura da CASSI continuar a mesma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo,

      Não tivemos uma escolha fácil que atingisse em integridade o que desejávamos para a CASSI.
      Fomos emparedados.
      Pelo menos com a escolha do SIM conseguimos uma sobrevida momentânea para a CASSI.
      Com o NÃO sofreríamos uma intervenção da ANS com consequências imprevisíveis.
      Agora é a hora de trabalhar para mudar a instituição para que, daqui a uns dois anos, não tenhamos de fazer novas escolhas dolorosas.

      Abraços

      Adaí Rosembak

      Excluir
  7. Meu Caro,
    Isso é uma chatura sem sentido e sem fim.
    Se essa gente que contesta o resultado das eleições que se processaram de forma absolutamente ética,com com o único objetivo de atrapalhar a salvação da instituição, trabalhasse para aperfeiçoar o sistema CASSI, muita coisa poderia melhorar, mas não podemos esperar nada desse pessoal a não ser emperrar o processo e levar a CASSI à falência.
    Então sigamos a máxima árabe que diz "enquanto os cães ladram a caravana passa."
    E bola prá frente que atrás vem gente e temos muito trabalho para executar a fim de adequar a instituição aos novos tempos.

    ResponderExcluir